Há efeito da idade relativa em nadadores do campeonato mundial de esportes aquáticos de Budapeste 2017?
REF / JPE 2021; 90, 1
pdf

Palavras-chave

Efeito da idade relativa, atletas, natação.
efeito da idade relativa
atletas
natação relative age effect
athletes
swimming

Como Citar

Augusto Silva Lemos, M. ., Rocha Soares, E., Tolomeu de Oliveira, G. ., & Melo Ferreira, R. (2021). Há efeito da idade relativa em nadadores do campeonato mundial de esportes aquáticos de Budapeste 2017?. Revista De Educação Física / Journal of Physical Education, 90(1), 45–52. https://doi.org/10.37310/ref.v90i1.2715

Resumo

Introdução: O efeito da idade relativa (EIR) pode ser entendido como a diferença na idade cronológica de indivíduos nascidos no mesmo ano de seleção, bem como pelas vantagens maturacionais em relação a seus pares nascidos no mesmo ano, o que parece favorecer o desempenho para determinadas categorias esportivas.
Objetivo: Verificar a presença do EIR em nadadores participantes do Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos Budapeste 2017.
Métodos: Estudo seccional retrospectivo, que utilizou dados secundários, do qual fizeram parte 983 atletas de natação. O critério de inclusão foi integrar os 30 melhores atletas de cada prova do campeonato mundial de 2017. Foi realizado o teste qui-quadrado com análise de proporção 2x2 com correção de Bonferroni entre cada quartil.
Resultados: Os resultados mostraram que não foi verificado EIR ao se analisar o sexo, porém observou-se tal efeito segundo tipos de prova (velocidade; p=0,02) e etapas da competição (eliminatória e semifinal; p=0,01).
Conclusão: Concluiu-se que houve EIR em nadadores de provas de velocidade e nos participantes das fases eliminatórias e semifinais. Sugere-se que outros estudos sejam desenvolvidos considerando os campeonatos subsequentes a fim de que esse efeito seja observado.

https://doi.org/10.37310/ref.v90i1.2715
pdf

Referências

Musch J, Grondin S. Unequal Competition as an Impediment to Personal Development: A Review of the Relative Age Effect in Sport. Developmental Review. [Online] 2001;21(2): 147–167. Available from: doi:10.1006/drev.2000.0516

Malina RM. Physical growth and biological maturation of young athletes. Exercise and Sport Sciences Reviews. 1994;22: 389–433.

Malina RM, Bouchard C, Bar-Or O. Crescimento, Maturacao e Atividade Fisica. 2 ed., São Paulo: Phorte; 2009. 784p

Vaeyens R, Philippaerts RM, Malina RM. The relative age effect in soccer: A match-related perspective. Journal of Sports Sciences. [Online] Routledge; 2005;23(7): 747–756. Available from: doi:10.1080/02640410400022052

Rabelo FN, Pasquarelli BN, Matzenbacher F, Campos FAD, Osiecki R, Dourado AC, et al. Efeito da idade relativa nas categorias do futebol brasileiro: critérios de seleção ou uma tendência populacional? Revista Brasileira de Ciências do Esporte. [Online] Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte; 2016;38: 370–375. Available from: doi:10.1016/j.rbce.2016.01.001

Silva T, Garganta J, Brito J, Cardoso F, Teoldo I. Influência do efeito da idade relativa sobre o desempenho tático de jogadores de futebol da categoria sub-13. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. [Online] Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte; 2018;40: 54–61. Available from: doi:10.1016/j.rbce.2015.11.009

Parma JO, Penna EM. SciELO - Brasil - The relative age effect on Brazilian elite volleyball. Journal of Physical Education. [Online] Universidade Estadual de Maringá; 2018;29. Available from: doi:10.4025/jphyseduc.v29i1.2942 [Accessed: 22nd June 2021]

Pacharoni R, Aoki MS, Costa EC, Moreira A, Massa M. Efeito da idade relativa no tênis. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. [Online] 2014;22(3): 111–117. Available from: doi:10.18511/rbcm.v22i3.4314

Werneck FZ, Lima JRP de, Coelho EF, Matta M de O, Figueiredo AJB. Efeito da idade relativa em atletas olímpicos de triatlo. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. [Online] Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte; 2014;20: 394–397. Available from: doi:10.1590/1517-86922014200501705

Albuquerque MR, Lage GM, da Costa VT, Ferreira RM, Penna EM, Moraes LCC de A, et al. Relative age effect in Olympic Taekwondo athletes. Perceptual and Motor Skills. [Online] 2012;114(2): 461–468. Available from: doi:10.2466/05.25.PMS.114.2.461-468

Campideli TS, Ferreira RM, Coelho EF, Penna EM, Panza OS, Werneck FZ. Efeito da idade relativa em atletas olímpicos de esportes de combate. Motricidade. 2018;14(S1):279-286. Available from: doi:dx.doi.org/10.6063/motricidade.14610

Costa OG, Coelho EF, Werneck FZ, Paula LV de, Ferreira RM. Efeito da idade relativa em nadadores participantes do Mundial de esportes Aquáticos Barcelona 2013. Conexões. [Online] 2015;13(2): 83–97. Available from: doi:10.20396/conex.v13i2.8640656

Smith KL, Weir PL, Till K, Romann M, Cobley S. Relative Age Effects Across and Within Female Sport Contexts: A Systematic Review and Meta-Analysis. Sports Medicine. [Online] 2018;48(6): 1451–1478. Available from: doi:10.1007/s40279-018-0890-8

Baxter-Jones AD. Growth and development of young athletes. Should competition levels be age related? Sports Medicine (Auckland, N.Z.). [Online] 1995;20(2): 59–64. Available from: doi:10.2165/00007256-199520020-00001

Costa AM, Marques MC, Louro H, Ferreira SS, Marinho DA. The relative age effect among elite youth competitive swimmers. European Journal of Sport Science. [Online] 2013;13(5): 437–444. Available from: doi:10.1080/17461391.2012.742571

Hancock DJ, Adler AL, Côté J. A proposed theoretical model to explain relative age effects in sport. European Journal of Sport Science. [Online] 2013;13(6): 630–637. Available from: doi:10.1080/17461391.2013.775352

Ryan P. The relative age effect on minor sport participation [master´s thesis]. Canada: Faculty of Graduate Studies and Research, McGill University Montreal; 1989. 121p.

Pearson DT, Naughton GA, Torode M. Predictability of physiological testing and the role of maturation in talent identification for adolescent team sports. Journal of Science and Medicine in Sport. [Online] 2006;9(4): 277–287. Available from: doi:10.1016/j.jsams.2006.05.020

Ré AHN, Corrêa UC, Böhme MTS. Anthropometric characteristics and motor skills in talent selection and development in indoor soccer. Perceptual and Motor Skills. [Online] 2010;110(3 Pt 1): 916–930. Available from: doi:10.2466/PMS.110.3.916-930

Ré AHN. Crescimento, maturação e desenvolvimento na infância e adolescência: Implicações para o esporte. [Growth, maturation and development during childhood and adolescence: Implications for sports practice.]. Motricidade. [Online] Portugal: Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano; 2011;7(3): 55–67. Available from: doi:10.6063/motricidade.7(3).103

Cobley S, Baker J, Wattie N, McKenna J. Annual age-grouping and athlete development: a meta-analytical review of relative age effects in sport. Sports Medicine (Auckland, N.Z.). [Online] 2009;39(3): 235–256. Available from: doi:10.2165/00007256-200939030-00005

Borba DA, Da Silva ALF, Caldeira RR, Ferreira-júnior JB. Influência de diferentes níveis de desempenho na estratégia de corrida durante os 10 mil metros do Campeonato Mundial de Atletismo: um estudo retrospectivo (2015 e 2017). Revista de Educação Física / Journal of Physical Education. [Online] 2020;88(4): 989–998. Available from: doi:10.37310/ref.v88i4.848

Beunen GP, Malina RM, Lefevre J, Claessens AL, Renson R, Kanden Eynde B, et al. Skeletal maturation, somatic growth and physical fitness in girls 6-16 years of age. International Journal of Sports Medicine. [Online] 1997;18(6): 413–419. Available from: doi:10.1055/s-2007-972657

Maglischo EW. Nadando o mais rápido possível. 1 ed. São Paulo: Manole; 2010. 716p.

Malina RM, Reyes MEP, Eisenmann JC, Horta L, Rodrigues J, Miller R. Height, mass and skeletal maturity of elite Portuguese soccer players aged 11–16 years. Journal of Sports Sciences. [Online] Routledge; 2000;18(9): 685–693. Available from: doi:10.1080/02640410050120069

Penna EM, Costa VT da, Ferreira RM, Moraes LCC de A. Efeito da idade relativa no futsal de base de Minas Gerais. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. [Online] Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte; 2012;34: 41–51. Available from: doi:10.1590/S0101-32892012000100004