Percepção dos alunos do Colégio Militar de Brasília sobre a inserção de novos conteúdos de Lutas na Educação Física Escolar: um estudo exploratório
REF / JPE 2021; 90, 2
pdf

Palavras-chave

Educação Física Escolar.
Lutas.
Atividade Física.
Percepção.
Ensino de Competências. School Physical Education.
Fights.
Physical activity.
Perception.
Teaching Skills.

Como Citar

ANDRADE NETO, J. B. D. ., & Moreira Pereira, G. . (2021). Percepção dos alunos do Colégio Militar de Brasília sobre a inserção de novos conteúdos de Lutas na Educação Física Escolar: um estudo exploratório. Revista De Educação Física / Journal of Physical Education, 90(2), 149–156. https://doi.org/10.37310/ref.v90i2.2764

Resumo

Introdução: A inclusão de novos conteúdos de Lutas na educação física escolar é uma crescente demanda do Colégio Militar de Brasília (CMB)e a diversificação desses conteúdos pode potencialmente incentivar o trato pedagógico de forma holística, contemplando integralmente a abordagem do “Ensino por Competências”.

Objetivo: Realizar um levantamento exploratório acerca da percepção dos alunos do CMB sobre a inserção de novos conteúdos de Lutas na Educação Física Escolar.

Métodos: Este estudo foi do tipo descritivo quantitativo exploratório, em amostragem do tipo censo, com a participação de 1.021 alunos voluntários, de ambos os sexos, idade entre 10 e 18 anos, com aplicação de um questionário semiestruturado, por meio do Ambiente Virtual de Aprendizagem, no período de julho a dezembro de 2020.

Resultados: As Lutas são as atividades físicas preferidas dos alunos do CMB, quando comparadas as outras atividades físicas elencadas. As modalidades com maior interesse foram: o Krav Maga 30% e Karatê 20%. Os principais objetivos apontados foram: defesa pessoal, promoção da saúde e a participação em competições.

Conclusão: A maioria dos alunos do CMB já participa de escolinhas de Lutas no ambiente externo (espaço não formal de ensino). Contudo, desejam praticar essas modalidades, se ofertadas, no ambiente escolar (espaço formal de ensino). Houve uma maior indicação para a prática das modalidades de Krav Maga, Karatê e Taekwondô. Os interesses evidenciados foram a defesa pessoal, prática de atividade física e a participação em competições. As quais, se oportunizadas irão contemplar integralmente a metodologia do Ensino por Competências.

https://doi.org/10.37310/ref.v90i2.2764
pdf

Referências

Rufino LGB; Darido SC. Possíveis diálogos entre a educação física escolar e o conteúdo das Lutas na perspectiva da cultura corporal. Conexões [Internet]. 27º de março de 2013 [citado 10º de abril de 2021];11(1):144-70. Disp. em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8637635

Ferreira HS. As Lutas na Educação Física Escolar. Revista de Educação Física / Journal of Physical Education [Internet]. 1 [citado 10º de abril de 2021];75(135). Disponível em: https://revistadeeducacaofisica.emnuvens.com.br/revista/article/view/428

Darido SC; Rangel ICA. Educação Física na escola: implicações para a prática pedagógica. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2019. p. 244- 261.

Rufino LGB; Darido SC. O Ensino das Lutas na Escola: possibilidades para a Educação Física. 1ª ed. Porto Alegre. Ed Penso; 2015.

Gomes MSP. O Ensino do saber lutar na universidade: estudo da didática clínica nas Lutas e esportes de combate. [Faculdade de Educação Física] Universidade Estadual de Campinas; 2014. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/275054

Lançanova JES. Lutas na Educação Física Escolar: alternativas pedagógicas. [Faculdade de Educação Física] Universidade da Região da Campanha; 2006. Disponível em: https://docplayer.com.br/3067467-Lutas-na-educacao-fisica-escolar-alternativas-pedagogicas-jader-emilio-da-silveira-lancanova-resumo.html

Brasil. Diretoria de Educação Preparatória e Assistencial (DEPA). Caderno de Didática do Sistema Colégio Militar do Brasil. 2020; 1:1-42. Disponível em: http://www.depa.eb.mil.br/images/secs/ensino/caderno_de_ditatico.pdf

Cervo LA; Bervian PA. Metodologia Científica. 1ª Ed. São Paulo: Makron Books do Brasil, 1996.

Gil AC. Como elaborar Projetos de Pesquisa. 5ª Ed. São Paulo: Atlas, 2017.

Baruch Y. Response Rate in Academic Studies — A Comparative Analysis. Human Relations. [Online] 1999;52(4): 421–438. Available from: doi:10.1023/A:1016905407491

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílio (PNAD). 2017. Disponível em: http://www.ibge.gov.br

Andrade Neto JB. Efeitos Fisiológicos do Treinamento Físico de Krav Maga nas variáveis: hemodinâmica, metabólica, hidratação, neuromuscular, hormonal e sono. [Mestrado em Saúde do Adulto]. Universidade Federal do Maranhão; 2019. Disponível em: https://sigaa.ufma.br/sigaa/public/programa/apresentacaostricto.jsf?lc = ptBRidP rograma = 962

Preyer CT. Educação física escolar: a importância da diversificação no ensino de seus conteúdos. [Faculdade de Educação Física]; 2000. Disponível em: .

Antunes MM; Almeida JJG. Artes Marciais, Lutas e esportes de combate na perspectiva da Educação Física reflexões e possibilidade. vol 1. 1ª ed. Curitiba CRV. 2015.

Drigo AJ; Neto SS; Cesana J; Tojal, JBA. Artes marciais, formação profissional e escolas de ofício: Análise documental do judô brasileiro. Motricidade. 2011. vol. 7, n. 4, p. 49-62.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2017. Disponível em: http://www.mec.gov.br